Páginas

11 de março de 2014

"Abertura 1812"


Eu me senti triste por ser uma
despedida, e cansado por ser um
recomeço. O mundo sempre se
mostra maior do que os meus
planos falidos. E não sobra nada
além de alguém vindo me dizer que
a vida sempre nos ensina alguma
coisa, enquanto eu me esforço ao
máximo pra aceitar essa ideia.
Mas… tudo bem, é uma lição, uma
fase, uma mistura de pretéritos que
tentam me tornar um humano
perfeito. Dizer adeus e recomeçar
sem nada nas mãos é de lei. Eu
tinha que parecer uma pessoa feliz,
mesmo sabendo que deixei ir
embora a pessoa que realmente
instigava minha felicidade. Não
queria que vissem minha fraqueza,
minha falta de vontade de começar
seja lá o que for, por alguém que
fechou a porta e nem ao menos
olhou para trás. Após dizer adeus,
deitei na cama enquanto pensava - Eles não podem saber que não
existem recomeços… Eles não
podem saber que não existem
recomeços enquanto a memória
continuar voltando pro mesmo
lugar de sempre.


Nenhum comentário:

Postar um comentário